Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2012

Um espaço vazio.

 

 

 

 

 

Não há nada. Nada. Apenas se resume a nada. Cada palavra alguma vez trocada. Alguma lágrima largada. No final, tudo acaba igual: um terrível espaço vazio num prenunciar de uma palavra. Da palavra que no principio fez sentido, mas agora, não mais.

 No fim vai tornar-se tudo em pó. Pó: aquele que ninguém gosta, aquele que ninguém quer. Será tudo apenas pó varrido para longe daqueles que não são pó. Somos nada. Nada. Não é dramatismo, não é tragédia, é só a pura realidade. Nua e crua como uma pedra gélida. Tão gélida quanto o teu coração está.

publicado por maguie. às 21:06
link do post | comentar | favorito
16 comentários:
De Dri a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:14
adorei o texto apesar de triste
De Dri a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:19
é curioso mas gosto imnso de ler o que escreves
De loucuras de uma mente sã a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:26
o bom do vazio é que se pode encher :)
De Dri a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:29
de nada, é apenas a minha opiniao :)
De Dri a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:31
(:
De avery. a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:33
pois...
De тιago a 7 de Fevereiro de 2012 às 21:36
mesmo! ahah


vou escrever sempre que tiver coisas para lhe dizer, pelo que só depois veremos (:
-


um texto que fala da realidade; mas de uma realidade que virá, certamente, mas depois. Para já, estamos na fase anterior, a vida. E esperamos que demore muito para que sejamos somente pó.
De G a 7 de Fevereiro de 2012 às 22:29
embora triste está perfeito :)
De тιago a 8 de Fevereiro de 2012 às 15:20
é certo que virá (:
De * wild * a 8 de Fevereiro de 2012 às 17:25
Verdade ! :x

Comentar post